Show promovido pela Rede Bom Jesus de Comunicação e Rádio Onda Sul FM de Francisco Beltrão

Hemonúcleo recebeu mais de 9 mil doações de sangue em 2017

por Francione Pruch em 27 de dezembro de 2017 18:57
por Francione Pruch em 27 de dezembro de 2017 18:57

Um ato que pode salvar vidas. Talvez você já tenha escutado essa frase em algum lugar, seja no rádio, TV, jornal ou nas mídias sociais. Ela está atrelada a campanha de doação de sangue, assunto debatido com frequência no nosso dia a dia. O impacto da frase, aliado com a colaboração de algumas pessoas, resultou neste ano de 2017, novos doadores e números positivos para o Hemonúcleo de Francisco Beltrão.

De janeiro a novembro, 9.186 candidatos para doação. Desses, 7.747 bolsas de sangue foram coletadas, sendo possível utilizar 7.078. Do total, 1.439 candidatos não puderam doar devido a casos clínicos e outros 491 por questões sorológicas.

Juliano Benvenuto

Juliano Benvenuto

“Cerca de 70% está sendo aproveitado o sangue. Estamos com 20% de inaptidão clínica, que se trata de comportamento de risco, anemia, pressão baixa ou alta seriam as maiores causas”. Comenta o Diretor do Hemonúcleo, Juliano Benvenuto Gazzi.

Nos últimos quatro anos, somente em 2015 registrou o maior número de doadores, chegando à marca de 10.329 doações. Em 2016, o total de alcançou 9.753 pessoas.

“Mesmo tendo menos candidatos a doação que o ano passado, já temos mais bolsas coletadas e mais bolsas viáveis que o ano passado”, frisa.

Além das doações dos beltronenses, moradores dos 26 município da microrregião também colaboram com o Hemonúcleo.

O sangue coletado em Francisco Beltrão é destinado para um hospital de Santa Cataria, mas boa parte segue para Cascavel. “Nossa meta é destinar 200 bolsas por mês para Cascavel”, salienta o diretor.

Coleta de sangue nos últimos anos/ Dados: Hemonúcleo

Coleta de sangue nos últimos anos/ Dados: Hemonúcleo

 

Atendimento antes do Ano Novo

Na semana que antecede o Ano Novo, o Hemonúcleo, apesar do número reduzido de profissionais, os atendimentos se mantém nos mesmos horários. Das 08h às 11h30 e das 13h00 até 16h30.

“A gente pede para que os doadores procurem o horário da manhã porque temos mais médicos para atender. À tarde a gente só tem um médico, então a triagem fica mais lenta”. Destaca Benvenuto.

Grupos a cima de cinco doadores devem agendar com antecedência. Evitando filas e possibilitando o melhor atendimento por parte da equipe.

 

Atendimento em janeiro e recadastramento

O ano de 2018 começa com mudanças no horário de atendimento. Devido ao período de férias dos médicos, o atendimento para coleta de sangue será focado pela manhã, das 08 horas até 11h30. O período da tarde será destinado para efetuar o recadastramento dos doadores.

Desde o final de 2016 um novo sistema foi implantado na unidade, proporcionando agilidade e a inserção de dados de cada doador.

Segundo Juliano, “no sistema anterior a não tinha a opção do e-mail, com a alteração a gente tem que buscar principalmente os doadores fidelizados para incluir o e-mail no cadastro”.

Atualmente, do total de doadores cadastrados, apenas 15 % estão com o cadastro completo. “Em função desse horário diferenciado, vamos aproveitar a tarde para fazer o recadastramento, entregar carteirinha do doador, doador de medula”, destaca.

 

Carteirinha de Doador

Com a atualização do cadastro dos doadores, ficará prático a emissão das Certidões de Doação. Até então, o documento era emitido e entregue pelo Hemonúcleo alguns dias após a doação. Com a mudança de sistema, a carteirinha será envida por e-mail.

O documento é usado para pagar meia-entrada ou entrada completa em shows, jogos do Marreco Futsal e do time União, dentre outros eventos realizados na microrregião.

 

Os comentários para esta matéria estão desabilitados. Caso deseje comentar sobre este conteúdo, fique a vontade em utilizar o botão do Facebook logo no inicio da matéria para compartilhar seus comentários através de seu perfil na rede social.
Compartilhar