Publicada nomeação de palmense para chefia do Departamento Penitenciário Nacional

por Guilherme Zimermann em 3 de Janeiro de 2019 15:05
por Guilherme Zimermann em 3 de Janeiro de 2019 15:05

Foi publicada nesta quarta-feira (02), em edição extra do Diário Oficial da União, a nomeação do delegado da Polícia Federal (PF), Fabiano Bordignon, para o cargo de Diretor-Geral do Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

Nascido em Palmas, no Sul do Paraná, Fabiano é filho dos professores Danilo e Paula Bordignon. Até meados de dezembro de 2018, ele chefiava a Delegacia da PF em Foz do Iguaçu.

 

O nome do palmense começou a ser ventilado como integrante da equipe de Sérgio Moro no Ministério da Justiça, em novembro, quando foram iniciados os trabalhos de transição entre os governos de Michel Temer e Jair Bolsonaro.

Fabiano Bordignon nasceu em Palmas, Sul do Paraná.

No dia 26 de novembro, Moro confirmou a indicação de Bordignon para a chefia do Depen, cargo considerado estratégico, uma vez que o agora ministro da Justiça declarou que uma de suas prioridades no governo federal será o combate a facções em presídios. Conhecido por ser um homem de diálogo, o palmense conta com experiências no meio carcerário, na cooperação internacional e no combate às facções criminosas.

No último dia 20 de dezembro, ao deixar a chefia da Delegacia da PF de Foz do Iguaçu, Bordignon afirmou que pretende enfrentar os problemas do sistema prisional, que amarga falta de quase 360 mil vagas, enfatizando as ações conjuntas. “Não é esforço de uma pessoa ou de um grupo de pessoas, é da sociedade. Dos órgãos de execução penal, do poder Judiciário, do poder Executivo e do preso. É um desafio de toda a sociedade brasileira, que tem déficit histórico na atenção à questão prisional. Precisamos e vamos melhorar”, prometeu.

Integrando os quadros da Polícia Federal desde 2002, Bordignon já atuou como diretor da Penitenciária Federal de Catanduvas, além de participar da Coordenação Operacional da Policia Federal junto ao Centro Integrado de Comando e Controle Regional durante a Copa do Mundo em 2014 e também chefiar a Delegacia de Repressão a Crimes Fazendários da Polícia Federal em Rondônia.

Em Foz do Iguaçu, esteve à frente das investigações sobre o roubo à uma empresa de valores de Ciudad de Leste, no Paraguai, ocorrido em abril de 2017.

Compartilhar