MAGAZINE DE NATAL EXCLUSIVIDADE RBJ.COM.BR

Os votos de Coronel Domingos Soares para governador: de 1998 a 2018

por Guilherme Zimermann em 4 de julho de 2018 14:40
por Guilherme Zimermann em 4 de julho de 2018 14:40

Preferência do eleitorado diversificou-se nas últimas eleições

Com pelo menos 5 apresentando-se como pré-candidatos ao governo do Paraná, em quem os eleitores de Coronel Domingos Soares irão votar em 2018?

Buscando apresentar um perfil do eleitorado da região, trazendo um histórico das eleições gerais brasileiras desde a redemocratização, o Setor de Estatísticas do Departamento de Jornalismo da Rádio Club/RBJ realizou um levantamento, que apresenta os resultados dos pleitos eleitorais em cada município.

A primeira reportagem da série trouxe os dados das eleições presidenciais em Palmas, de 1989 até 2014. Você pode conferir aqui.

A segunda apresentou os resultados das eleições ao governo do Paraná, de 1994 até 2014. Confira aqui.

No terceiro material produzido, foram apresentados as votações dos candidatos à presidência da República em Coronel Domingos Soares, de 1998 a 2014. Leia mais.

Na quarta reportagem, trazemos os dados das eleições ao governo do Paraná em Coronel Domingos Soares, desde 1998, isto porque, a instalação oficial do município ocorreu em 1997, sendo a eleição do ano seguinte, a primeira eleição geral com a participação da nova cidade.

1998 – Reeleição de Jaime Lerner

Polarizada entre Roberto Requião (PMDB) e Jaime Lerner, do PFL, a eleição de 1998 contou ao todo com quatro candidatos. Jamil Nakad (PRONA) e Julio Cezar de Jesus (PSTU) também concorreram.

Pela primeira vez, um governador era reeleito, graças a aprovação de uma emenda constitucional que permitiu que os ocupantes de cargos executivos disputassem a permanência em seus respectivos postos.

Lerner foi reeleito no primeiro turno, com 52,2% dos votos. Entre os domingossoarenses o então governador obteve ampla maioria, obtendo uma  votação duas vezes maior que a de Requião.

2002 – Requião governador

Antigos aliados, Roberto Requião e Alvaro Dias protagonizaram a disputa pelo governo do Paraná em 2002. Ambos dividiam a bancada do Paraná no Senado Federal e enfrentavam outros 10 candidatos naquele pleito.

No primeiro turno, Dias, então no PDT, venceu, com 31,4% dos votos. Requião ficou atrás, com 1,3 milhão votos. Já no segundo turno, Requião, com apoio do PT do candidato à presidência Luiz Inácio Lula da Silva, virou o jogo, conquistando 55% dos votos, assumindo pela segunda vez o governo do Paraná.

Em Coronel Domingos Soares, Dias liderou a votação no 1º turno, mas foi derrotado no 2º.

2006 – Requião de novo

Pela quarta vez Roberto Requião disputava o governo do Paraná, agora buscando a reeleição. No primeiro turno, com 2,3 milhões, o peemedebista liderou a disputa, seguido por Osmar Dias (PDT), outro antigo aliado, que agora estava na trincheira oposta. Outros nove candidatos também estavam no páreo.

No 2º turno, numa das mais disputas mais acirradas, Requião venceu com uma diferença de apenas 10 mil votos.

Entre os eleitores domingossoarenses, Requião liderou os dois turnos.

2010 – Beto Richa chega ao governo

Beto Richa disputava o governo do Paraná pela segunda vez, tendo Osmar Dias como seu principal oponente.  Embalado pela boa aprovação quando estava à frente da prefeitura de Curitiba, Richa venceu ainda no primeiro turno, com 52,44% dos votos válidos. Dias ficou em segundo, com 45%.

Porém,  em Coronel Domingos Soares, Osmar foi o preferido, com quase 2 mil votos.

2014 – Reeleição de Beto Richa

Enfrentando Requião, Gleisi Hoffmann (PT) e mais outros cinco candidatos, Beto Richa foi reeleito em primeiro turno, com 3,3 milhões votos, o dobro da votação do segundo colocado, e continuou à frente do Executivo Estadual por mais quatro ano.

Entre os domingossoarense, Beto foi o mais votado, 2,1 votos. Gleisi Hoffmann obteve cerca de 950 votos e Requião foi terceiro, com 616 votos.

2018 – ?

Até o momento, cinco nomes aparecem como pré-candidatos: a atual governadora, Cida Borghetti (PP); o deputado estadual, Ratinho Juníor (PSD); o ex-vereador de Curitiba, Jorge Bernardi (REDE); o senador Roberto Requião (PMDB); e o ex-senador Osmar Dias (PDT).

As candidaturas oficias devem ser registradas até o dia 15 de agosto, com a campanha iniciando no dia 16 de agosto. Até lá, o cenário pode ser outro, os candidatos também. Caberá ao eleitor acompanhar, avaliar e escolher o melhor para governar o Paraná de 2019 até 2022.

Compartilhar