“Na política tudo é possível”, diz Rossoni sobre disputar a prefeitura de União da Vitória

por Guilherme Zimermann em 22 de Janeiro de 2019 14:16
por Guilherme Zimermann em 22 de Janeiro de 2019 14:16

Encerrando seu mandato na Câmara Federal, Valdir Rossoni (PSDB) esteve em Palmas, Sul do Paraná, nesta segunda-feira (21), onde, em entrevista à Rádio Club/RBJ, fez uma avaliação do seu trabalho nos últimos quatro anos, que dividiram-se entre Brasília, como deputado federal, e Curitiba, onde atuou como Secretário da Casa Civil entre 2016 e 2018, no governo do também tucano Beto Richa.

Conforme ele, a sua passagem por Palmas foi dividida entre atividades políticas e também de negócios, já visando o inicio do seu período fora da política, ao menos no que se refere à ocupação de cargos públicos.

Eleito prefeito de Bituruna em 1982, desde então Rossoni só esteve fora de cargo político entre 1989 e 1990, quando foi eleito deputado estadual pela primeira vez, cargo que exerceu até 2014, quando foi eleito deputado federal.

Considerado um dos nomes fortes da política do Estado, sobretudo durante o período em que esteve na Casa Civil, Rossoni aponta que a ânsia de renovação por parte do eleitorado e episódios de corrupção no governo estadual foram decisivos para a sua derrota. “Eu tenho a consciência tranquila e não lamento a minha não eleição. Acho que foi um aprendizado”, reflete.

Avalia ainda que o excesso de confiança também prejudicou sua campanha. “Um exemplo é Palmas. Os amigos diziam que eu seria o mais votado do Estado e quando nós fomos acordar a eleição já tinha ido embora. Outro problema foi o ‘efeito Bolsonaro’. Eu acho que tivemos boas renovações na política, mas também tivemos péssimas. Nós vamos ver no decorrer do tempo”, afirma.

Sobre seu futuro, disse que irá seguir trabalhando, sem perspectivas de assumir novos cargos públicos, apesar de ter declarado apoio a Ratinho Júnior durante a campanha eleitoral. Questionado sobre a possibilidade de disputar a prefeitura de União da Vitória, uma de suas bases eleitorais, disse que nunca havia pensado na ideia – “Não sabia que havia esse comentário”, afirmou – mas deixou o cenário em aberto. “Na política tudo é possível”, ponderou Rossoni.

Compartilhar