Ministro diz na Club que as questões políticas do país estão superadas com a votação de ontem na Câmara

por Ivan Cezar Fochzato em 26 de outubro de 2017 9:14
por Ivan Cezar Fochzato em 26 de outubro de 2017 9:14

O Ministro da Saúde, Ricardo Barros, disse que com o resultado da votação na Câmara dos Deputados, que ontem(25) rejeitou a segunda denúncia contra o Presidente da República, Michel Temer, as questões políticas estão superadas e agora o pais poderá avançar. A avaliação ocorreu na manhã desta quinta-feira, durante entrevista ao Programa Dinâmica 1050 na Rádio Club AM de Palmas, sul do Paraná.

Ricardo_Barros-470x314Enfatizou que tem sido possível encaminhar bem a governabilidade, pois o presidente tem liderado uma equipe dedicada e tem como resultado as quedas da inflação e juros. Por outro lado, o país experimenta aumento de empregos e de índices de crescimento positivos com resultados macroeconômicos recordes e com superavit da balança comercial. “As questões políticas estão superadas e as jurídicas sob os desígnios do judiciário. O importante é a determinação que tem o presidente em fazer o país avançar”, disse Barros. Salientou que Temer assumiu uma responsabilidade de conduta política de preferir o reconhecimento do que a popularidade e irá continuar tomando medidas duras que tragam resultados positivos para a economia.

Para o ministro o resultado da votação nesta quarta-feira era previsível, pois se tratava ação direcionada política e partidária do Procurador da República, Rodrigo Janot, que pretendia tirar o presidente. Em sua avaliação essas tentativas acabaram atrasando as reformas e o próprio crescimento do país. Antecipou que agora deverá ser retomada a  busca pela reforma da previdência. “Os deputados tem uma visão muito clara que precisam ser adotadas algumas medidas para que haja a reconciliação da classe política com a população, que só ocorrerá com  a melhoria dos ambientes políticos e econômicos”,  avaliou.

Política Paraná

Durante a entrevista, Barros confirmou que o projeto político partidário para o próximo ano, deverá  sua disputar mais um mandato à Câmara Federal. Já sua esposa, a vice-governadora, Cida Borghetti, no próximo ano deverá assumir Executivo Estadual e buscar a sua eleição para o governadoria do Paraná. Disse que no projeto do grupo, o atual governador, Beto Richa, deverá ser participar do pleito por uma vaga no Senado. “ Existem outros atores no processo político que são nossos parceiros e que temos bom relacionamento e vamos avançar”, disse Barros. Opinou que a oportunidade de servir a comunidade deve ser dada aquele que tenha as melhores condições de cumprir com as propostas apresentadas à população durante o processo eleitoral.

 

Os comentários para esta matéria estão desabilitados. Caso deseje comentar sobre este conteúdo, fique a vontade em utilizar o botão do Facebook logo no inicio da matéria para compartilhar seus comentários através de seu perfil na rede social.
Compartilhar