Clevelandense Luiz Alberto Martins de Oliveira morre aos 70 anos

por Guilherme Zimermann em 2 de Abril de 2018 11:09
por Guilherme Zimermann em 2 de Abril de 2018 11:09
Esta matéria utiliza fontes de: Gazeta do Povo

Foto: Senado Federal

O ex-senador pelo Paraná, ex-deputado e ex-secretário estadual Luiz Alberto Martins de Oliveira morreu neste domingo (1.º), aos 70 anos. O corpo está sendo velado nesta segunda-feira (02) na capela da Assembleia Legislativa do Paraná. O enterro será no cemitério Parque Iguaçu às 17 horas. Oliveira faleceu em casa, no Bairro Alto, em Curitiba, por causas naturais. Natural de Clevelândia, Sudoeste do Estado, Oliveira teve uma vida sempre ligada ao estado e à política – bem como seu irmão, Cândido Martins de Oliveira, que foi deputado estadual, secretário do governo paranaense e conselheiro do Tribunal de Contas do Paraná.

Nascido em 2 de julho de 1947, Luiz Alberto Martins de Oliveira ingressou no serviço público como funcionário da Assembleia Legislativa. Após se formar em Direito pela UFPR (Universidade Federal do Paraná), assumiu o cargo de procurador do Legislativo estadual.

Na década de 1970, ocupou, ainda, cargos do segundo escalão do Executivo estadual na área de educação, durante o governo de Emílio Hoffmann Gomes (1973-1975).

Foi eleito pela primeira vez deputado estadual em 1974 pela Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido de apoio ao regime militar. Reelegeu-se sucessivamente em 1978, 1982 e 1986 – nas duas últimas eleições, pelo PDS (Partido Democrático Social), o partido que sucedeu a Arena e que hoje é o PP (Partido Progressista).

Em 1990, participou como primeiro suplente da chapa vitoriosa do então candidato ao Senado José Eduardo de Andrade Vieira, dono do banco Bamerindus. A dupla repetiu a dobradinha na eleição de 1994.

Como José Eduardo se licenciou do Senado por dois períodos para ocupar o cargo de ministro nos governos de Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso, Oliveira foi efetivamente senador do Paraná entre 1992 e 1993 e de 1995 a 1996.

No cargo de senador, Oliveira participou, em 1993, da CPI do Orçamento – que investigou 40 parlamentares suspeitos de terem liberado verbas federais de forma irregular. No fim de 1993, ele se licenciou do Senado para assumir a presidência da Telepar – a estatal de telefonia do governo do Paraná. Voltou ao Senado em 1995 e deixou a cadeira no ano seguinte, quando José Eduardo deixou a Esplanada.

Em 1997, o então governador do Paraná Jaime Lerner nomeou Oliveira para o cargo de secretário especial. Um ano depois, assumiu a Casa Civil do governo estadual. Deixou o cargo em 1999. Após essa passagem pelo governo Lerner, ele não voltou mais à política e passou a se dedicar a suas fazendas no Sudoeste do Paraná. Luiz Alberto Martins de Oliveira deixa viúva e quatro filhos.

Compartilhar