Show promovido pela Rede Bom Jesus de Comunicação e Rádio Onda Sul FM de Francisco Beltrão

Polícia conclui inquérito sobre morte de jovem em SC; Namorado é indiciado por homicídio culposo

por Guilherme Zimermann em 27 de outubro de 2017 8:45
por Guilherme Zimermann em 27 de outubro de 2017 8:45

A Polícia Civil concluiu o inquérito que apurava a causa da morte da jovem Maiara Paola Dill, 22, ocorrida na madrugada do dia 26 de maio, em Xanxerê, Oeste de Santa Catarina. Segundo o delegado responsável pelo caso, Adilson Bressan, o consumo excessivo de cocaína fez com que a jovem sofresse uma overdose, entrando em óbito.

+ Jovem morre ao se engasgar com alimento

+ Polícia encontra marcas de sangue no local onde jovem teria morrido engasgada

A morte de Maiara ocorreu na madrugada da sexta-feira, 26 de maio, quando ela, acompanhada de seu namorado, cuidava da residência de seus patrões, no bairro La Salle. O rapaz afirmou que a jovem teria se engasgado com um alimento, enquanto o casal assistia televisão.

Foto:Reprodução/Facebook

Foto:Reprodução/Facebook

Entretanto, durante levantamento do local da morte, a equipe de perícia encontrou marcas de sangue. Outro detalhe foi a forma como o cadáver foi encontrado. Segundo o Corpo de Bombeiros, a vítima já apresentava ausência total de sinais vitais e rigidez, sugerindo que a morte teria ocorrido há um tempo maior do que o informado pelo namorado da vítima.

Nesta semana, o delegado Adilson Bressan apresentou a conclusão do inquérito policial, contendo os laudos cadavérico e toxicológico, que comprovaram o uso de drogas.

Segundo Bressan, o rapaz foi indiciado por três crimes – o auxílio à vítima no uso indevido de drogas, homicídio culposo, quando não há intenção de matar. “Nós entendemos que ao adquirir a droga, em grande quantidade, e compartilhou com ela, criou-se uma situação de risco não permitido, pois, no momento em que ele se sentiu mal e parou de fazer uso da droga, mas permitiu que ela continuasse, ele infringiu um dever, no sentido de fazer com que a jovem também parasse. Como ele não agiu dessa forma, ela morreu em razão da overdose, por isso atribuímos a ele esse crime”, explica, apontando também o indiciamento por fraude processual, visto que em seus depoimentos, o rapaz omitiu detalhes dos fatos ocorridos, como o consumo de entorpecentes e a alteração do local da morte, quando tentou ocultar manchas de sangue no corpo e na roupa de Maiara. O caso será repassado à responsabilidade do Ministério Público. Ele segue em liberdade.

Os comentários para esta matéria estão desabilitados. Caso deseje comentar sobre este conteúdo, fique a vontade em utilizar o botão do Facebook logo no inicio da matéria para compartilhar seus comentários através de seu perfil na rede social.
Compartilhar