ICMBio cria Núcleo de Gestão Integrada em Palmas

por Guilherme Zimermann em 20 de setembro de 2018 14:28
por Guilherme Zimermann em 20 de setembro de 2018 14:28

Refúgio da Vida Silvestre é uma das unidades atendidas pelo ICMBio Palmas

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) instituiu Palmas, Sul do Paraná, como Núcleo de Gestão Integrada (NGI), centralizando a gestão de unidades federais de conservação ambiental na região.

O município já contava com um escritório do Instituto, responsável pela Estação Ecológica da Mata Preta, localizada em Abelardo Luz/SC, pelo Parque Nacional das Araucárias, entre Ponte Serrada e Passos Maia/SC, e pelo Refúgio da Vida Silvestre dos Campos de Palmas, que abrange também parte do município de General Carneiro, no Sul do Paraná.

Em entrevista à Rádio Club de Palmas/RBJ, a coordenadora regional do ICMBio, Márcia Strapazzon, explicou que, até então, cada uma dessas unidades contava com uma equipe e uma chefia própria. A partir da instituição do núcleo, a região passa a contar com uma chefia única, que será responsável por todas as unidades de conservação. “Em Palmas, a integração da gestão já ocorria na prática, sendo formalizado agora, com a criação do NGI”, esclarece.

O ICMBio trabalha agora na estruturação dos cargos e setores de gestão, por conta da reorganização nos atendimentos das demandas da unidades de conservação, sendo então nomeada uma chefia única e os responsáveis por cada setor do Instituto em Palmas, conforme as características locais.

Conforme o ICMBio, com o NGI, as unidades de conservação integrantes são planejadas e geridas a partir de uma perspectiva regional, na qual as prioridades de gestão nas UC são revisadas e integradas com base em um novo planejamento territorial, de modo que as diferentes atividades gerenciais passem a ser pensadas e executadas para todo o território.

O ICMBio Palmas deverá estabelecer, periodicamente, planejamento operacional, planos de trabalho e outros instrumentos técnicos de gestão, estabelecendo prioridades e orientando a destinação de meios e de recursos para a realização das atividades de gestão das unidades.

A coordenadora regional destaca ainda que, a partir desta nova perspectiva de atuação do ICMBio, com o fortalecimento na gestão das unidades conservação, abrem-se possibilidades para a lotação de novos profissionais para atuação na região.

Unidades atendidas pelo Núcleo de Gestão Integrada – ICMBio Palmas

Refúgio de Vida Silvestre dos Campos de Palmas

Foto: Ricardo Jerozolimski

Unidade de Conservação (UC) de proteção integral, situada nos municípios de Palmas e General Carneiro (PR), foi criada através de Decreto Federal, em 03 de abril de 2006, abrangendo uma área de 16.582 hectares.

O objetivo da UC é a proteção dos ambientes naturais necessários para a persistência da flora e fauna residente ou migratória, especialmente os remanescentes de campos naturais, as áreas de campos úmidos e várzeas, bem como realizar pesquisas científicas e o desenvolvimento monitorado de atividades de educação ambiental e turismo ecológico.

A vegetação da área é composta pelos campos naturais, associados com capões de Floresta Estacional Decidual e Semi-Decidual, ou capões de Floresta Ombrófila Mista, que atuam em importantes serviços ambientais e auxiliam na conservação dos recursos hídricos da região, por abrigar as nascentes do rio Chopim e Iratim, além de diversos cursos d’água e banhados.

Para a fauna, podem ser encontrados mamíferos como o morcego, o bugio, o lobo-guará e a aves como a noivinha-de-rabo-preto, entre outros grupos animais.

As principais atividades econômicas desenvolvidas na unidade são o pastoreio extensivo, exploração da erva-mate, cultivo de grãos e silvicultura. O REVIS ainda guarda um importante registro sociocultural de antigas construções do início da ocupação e da passagem dos tropeiros pela região, além de manter o modelo de pecuária tradicional.

Estação Ecológica da Mata Preta

Foto: ICMBio

A Estação Ecológica da Mata Preta está situada no município de Abelardo Luz/SC e apresenta uma área de 6.563 ha. Tem o objetivo de preservar os ecossistemas naturais existentes, com destaque para os remanescentes de Floresta Ombrófila Mista, possibilitando a realização de pesquisas científicas e o desenvolvimento de atividades controladas de educação ambiental.

A ESEC da Mata Preta é responsável pela manutenção da qualidade de diversos afluentes do Rio Chapecó, responsável pelo abastecimento de água do município de Abelardo Luz, e formador de um dos principais pontos turísticos da região, “as Quedas do rio Chapecó”.

Parque Nacional das Araucárias

Foto: Apremavi

O Parque Nacional das Araucárias localiza-se nos municípios de Passos Maia e Ponte Serrada (SC). Constituído por uma área de 12.841 hectares, tem como objetivo básico a preservação dos ambientes naturais ali existentes com destaque para os remanescentes de Floresta Ombrófila Mista, possibilitando a realização de pesquisas cientificas e o desenvolvimento de atividades de educação e interpretação ambiental, de recreação e contato com a natureza e de turismo ecológico.

Esta Unidade de Conservação foi criada em 19 de outubro de 2005 a partir de um grande trabalho realizado, envolvendo instituições federais (MMA/IBAMA), órgãos públicos estaduais e municipais, universidades e organizações da sociedade civil. Objetivou garantir a conservação de importantes remanescentes de Floresta com Araucárias, formação vegetal da Mata Atlântica extremamente ameaçada pela ação antrópica e sub-representada no Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC).

Além da Araucaria angustifolia, espécie característica da Floresta Ombrófila Mista e popularmente conhecida como pinheiro-brasileiro é possível encontrar na área diversas espécies que constam na lista oficial de espécies ameaçadas de extinção, como o xaxim e a imbuia. É também possível encontrar diversas espécies de aves, mamíferos e anfíbios ameaçados de extinção.

Compartilhar