Geada: “Tirei fotos porque se a gente fala duvidam”, diz morador de Palmas

por Ivan Cezar Fochzato em 23 de Fevereiro de 2018 10:38
por Ivan Cezar Fochzato em 23 de Fevereiro de 2018 10:38

A amplitude térmica – diferença entre o valor mínimo e máximo de temperatura em poucas horas- tem se repetido nos últimos dias em Palmas, sul do Paraná.  Nesta sexta-feira(23), entretanto, combinado a diversos fatores climáticos, o baixo valor foi suficiente para formar a primeira fina camada de gelo sobre a vegetação no perímetro urbano, neste ano.

O fenômeno foi registrado por Milton Pereira da Silva em uma baixada, próxima da Avenida Bento Munhoz da Rocha Neto, que dá acesso ao Campus Palmas do IFPR.  Ao RBJ contou que foi sua filha que lhe avisou, o que foi devidamente registrado. “ Saio cedo para levar minha filha para trabalhar e ela falou, olhe pai tem geada. Aí tirei essas fotos porque se a gente fala duvidam”, disse ele.

A Estação do IAPAR confirmou que a temperatura de relva – próxima do solo – foi de 6.2ºC, em uma região alta da cidade no bairro Aeroporto. A leiturista, Vera Lúcia Bello, salientou que desde ontem as mínimas de relva tem caído bastante. “Se fosse medir nas baixadas elas seriam ainda menores”, destacou.

Os termômetros de abrigo no perímetro urbano mediram 11.4ºC.  Nesta mesma condição, na altitude dos Campos de Palmas, variaram entre 6.6 e 8.6ºC.

Conforme o Simepar, entre sábado e segunda, as mínimas devem se elevar um pouco e voltarão a cair, aos valores de hoje, na próxima terça-feira.

Compartilhar