Ruas de Francisco Beltrão tem média de três acidentes por dia

por Francione Pruch em 7 de junho de 2018 15:21
por Francione Pruch em 7 de junho de 2018 15:21
Esta matéria utiliza fontes de: Luiz Carlos Baggio

Nos primeiros três meses deste ano, foram registrados 260 acidentes nas ruas de Francisco Beltrão. O levantamento é do Corpo de Bombeiros e contém apenas as ocorrências atendidas pela corporação. Isso representa uma média de 2,8 acidentes por dia, resultando em 513 vítimas com ferimentos. Conforme o mesmo levantamento, os horários de maior perigo nas ruas da cidade é das 12 às 14 horas, mas o maior número de ocorrências é registrado no final da tarde, onde acontece o maior número de acidentes. Esse é um dos dados apresentados por Marilda Galvan, diretora do Debetran – Departamento Beltronense de Trânsito, ao avaliar os números do Maio Amarelo.

Diretora do Debetran, Marilda Galvan

Mesmo com o fim da campanha, que visa conscientizar as pessoas para os cuidados no trânsito, em Francisco Beltrão as campanhas de orientação serão mantidas em caráter permanente. A revelação foi feita à Rádio Onda Sul por Marilda. Ela cita dados estatísticos para mostrar que nessa área é preciso reduzir os números negativos. “Não vamos acabar com os acidentes, mas podemos reduzi-los”, diz ela, confiante de que será possível reverter o quadro preocupante apresentado em nossas ruas. A diretora mostra preocupação com a faixa etária envolvida nos acidentes. “São jovens de 17 a 29 anos os que mais se envolvem em ocorrências de trânsito”, enfatiza Marilda. Nos acidentes graves, a diretora diz que a causa principal é o consumo de bebida alcoólica. Segundo ela, das 20 mortes de beltronenses em acidentes no ano de 2017, nove tinham consumido álcool.

O Debetran vai continuar adotando medidas preventivas, segundo sua diretora. Uma delas, é restringir a velocidade dos veículos na área central, intensificação do monitoramento por câmeras de segurança e intensificação de blitzes de trânsito. “Essas medidas somadas às campanhas de conscientização, devem trazer resultados a médio e longo prazos”, finaliza Marilda.

 

Compartilhar