Representantes de quatro países visitam Terra Indígena de Mangueirinha

por Ivan Cezar Fochzato em 18 de Maio de 2018 15:44
por Ivan Cezar Fochzato em 18 de Maio de 2018 15:44

Representantes da Organização Panamericana de Saúde(OPAS) e integrantes do Projeto de Cooperação do Chaco visitaram a região nesta quinta-feira e conheceram as diversas iniciativas e ações de atenção básica de saúde para Kaingangs e Guaranis  que vivem na Terra Indígena de Mangueirinha. A ação fez parte do encontro internacional do Chaco Sul-Americano, iniciativa de cooperação técnica na área de saúde indígena entre Brasil, Argentina, Paraguai e Bolívia e também um representante do Peru.

Conforme a representante paraguaia, a visita serviu para conhecer localmente as experiências desenvolvidas na área de saúde indígena, da mesma forma que ocorre com os demais países integrantes. “ Percebo que há uma conexão entre as comunidades indígenas e não indígenas”, disse Dalila Oviedo. O Coordenador do Projeto e integrante da OPAS, José Milton Guzman, disse vieram visitar e conversar com a comunidade e aprender, e conhecer o território, como vivem as comunidades e os  os programas  desenvolvidos.

A delegação foi integrada pelo  chefe da Divisão de Atenção à Saúde Indígena da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai/MS), André Martin; o Assessor  Internacional do Ministério da Saúde do Brasil;  Rafael França; a Deputada Federal da Bolívia, Patricia Chaves; Diretora Nacional de Saúde Indígena do Paraguai, Dalila Oviedo;  vice presidenta del Sistema Integrado de Salud Pública, Sandra Fraifer. Presentes também a Diretora da da 7ª Regional de Saúde, Salete Mafioletti Kozelinski e lideranças governamentais dos três municípios que compõem a Terra Indígena.

PROJETO CHACO – A iniciativa de cooperação Projeto Chaco Sul-Americano nasceu em 2016, a partir da reunião de delegações dos governos da Argentina, Bolívia, Brasil e Paraguai e especialistas da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) na cidade de Salto, na Argentina.

Na ocasião, foi definida uma agenda comum para promoção da saúde universal da população do chamado Gran Chaco Sul-Americano. Entre as principais metas do grupo estão a redução da mortalidade materna, neonatal e infantil, inclusão social, intercultural e de gênero, priorizando a população indígena.

A programação da delegação internacional será encerrada nesta sexta-feira (18), na sede do DSEI, em Curitiba, com debates sobre as visitas realizadas durante a semana.

O prefeito, Elidio Zimerman, o encontro marcou história. “Jamais tivermos a oportunidade de termos um intercâmbio desse nível e importância onde mostrar o trabalho que se faz na área de saúde”, comemorou o prefeito.

Compartilhar