Palmas gastou R$ 28 milhões em saúde em 2017

por Ivan Cezar Fochzato em 9 de Maio de 2018 15:48
por Ivan Cezar Fochzato em 9 de Maio de 2018 15:48

O município de Palmas, Sul do Paraná em mais de R$ 10 milhões o orçamento para gastos em saúde, em 2017. Os dados foram apresentados na audiência pública do Conselho Municipal de Saúde nesta terça-feira(08) na Câmara de Vereadores. Na oportunidade houve explanações dos relatórios de gestão e contabilidade, referente ao terceiro quadrimestre do referido exercício.

Conforme o contador da prefeitura, Ezequiel Goularth, no exercício passado, o município gastou R$ 28 milhões de reais. O montante exigiu que fossem aprovadas diversas leis de suplementação orçamentária para que a administração utilizasse recursos livres para atender a demanda, além da obrigação constitucional de 15% da arrecadação. Para tanto, houve contingenciamento em outras áreas do serviço público.

Salientou que os gastos referem-se basicamente a pagamentos de pessoal, encargos sofre a folha, serviços de terceiros, equipamentos, materiais e deslocamentos de pacientes para outros centros de tratamento.

O Relatório Operacional apresentado pelo servidor, Gelson Kovalhuk, mostrou que mais de 2,5 milhões de medicamentos foram  distribuídos no quadrimestre(setembro a dezembro). No período foram realizadas 51 mil consultas médicas.

Dos 840 nascimentos no ano passado, 269 ocorreram no último quadrimestre. Neste período, foram registradas 105 mortes de adultos decorrentes de doenças cardíacas/diabetes(22); câncer(17); violentas/externas(12); pulmonares(11) e outras causas(37).

Do total de consultas realizadas, 48,8% foram realizadas  pela estrutura de Atenção Básica, nas UBS Central e dos Bairros; Atenção Especializada, 25,2% e 28,8% referem-se as realizadas no Pronto Atendimento Municipal(PAM). A partir de tais procedimentos, foram distribuídos 2.486,379  medicamentos e encaminhados 1.243 pacientes para internações. No período foram realizados 6.764 exames especializados e 24 mil laboratoriais.

MORTALIDADE INFANTIL

Com 14 mortes de crianças menores de 01 ano, sendo 07 no último quadrimestre, a taxa de mortalidade infantil  fechou 2017 em 16,66 óbitos por mil nascidos vivos. Em 2013 foram 23 mortes, com taxa de 25,78. No ano seguinte foram 12 mortes(13,47). Em 2015 o índice foi de 18,62, com 16 óbitos. Em 2016, com 10 mortes a taxa ficou em 10,66.

RELATÓRIO OPERACIONAL

Os dados que demonstram detalhadamente ações e serviços também podem ser consultados Secretaria e Conselho de Saúde(CMS).

Compartilhar