Instituto Policlínica PB e Itaipu Binacional assinam termo de cooperação

por Evandro Artuzzi em 22 de Maio de 2018 16:17
por Evandro Artuzzi em 22 de Maio de 2018 16:17
Esta matéria utiliza fontes de: Assessoria
Na noite de sexta-feira (18), foi realizada a assinatura do termo de cooperação entre a Itaipu Binacional e o Instituto Policlínica PB. A solenidade aconteceu na Câmara Municipal de Pato Branco e contou com a presença de diretores do Instituto – Sadao Yamamoto (presidente) e Waldemar Gava (financeiro) – e do diretor administrativo do lado brasileiro da Itaipu Binacional, João Pereira dos Santos, acompanhado da advogada da empresa, Isabela Marçal de Azevedo. Também prestigiaram o evento o deputado federal Fernando Giacobo, o prefeito Augustinho Zucchi, vereadores, representantes da Fundação Sudoestina de Combate ao Câncer e integrantes da sociedade civil organizada.
A Itaipu Binacional repassará o valor de R$ 4.224.480,00 para a aquisição de um novo equipamento de Radioterapia (acelerador linear) para o serviço de Oncologia – Unacon com Radioterapia, do Instituto. O equipamento será alocado na sede da Fundação. Os recursos referem-se a projeto apresentado pelo Instituto Policlínica PB para ampliar a capacidade de assistência aos tratamentos de câncer de pacientes que utilizam o serviço de Oncologia do hospital, e que teve o apoio do deputado federal Fernando Giacobo para sensibilizar as diretorias brasileira e paraguaia da Itaipu.
Vinte anos
A presidente da Fundação Sudoestina de Combate ao Câncer, Sandra Borba, lembrou da criação da entidade, com a intenção de evitar que os sudoestinos tivessem que se deslocar a outros centros para receberem tratamento.
“Hoje é um dia histórico. Estamos completando 20 anos de sonhos, de conquistas. A doação da Itaipu é maravilhosa, o bem que será feito para os pacientes da nossa região é enorme”, celebrou Sandra.
Osmar Gabriel, presidente do Conselho de Instituidores da Fundação Sudoestina de Combate ao Câncer relatou que aproximadamente mil novos casos de câncer são registrados nos 22 municípios atendidos pelo serviço de Oncologia do Instituto Policlínica PB.
“O povo do Sudoeste do Paraná e do Oeste de Santa Catarina será beneficiado. Só com as doações, levaríamos 20 anos para arrecadar o montante necessário”, calculou Gabriel.
O prefeito de Pato Branco, Augustinho Zucchi, classificou a assinatura do termo como um momento importante para o setor de Saúde do município e da região. E lembrou de todo o esforço da sociedade para o credenciamento do hospital junto ao Ministério da Saúde.
“Agora, o Instituto Policlínica poderá ampliar a estrutura, com atendimento mais efetivo, não só diagnosticando a doença, mas fazendo o tratamento aqui na região”, declarou o prefeito.

Empresa geradora de energia repassará mais de R$ 4 milhões para aquisição de um acelerador linear, para tratamentos de Radioterapia. Foto de divulgação

O acelerador linear
O projeto apresentado à Itaipu teve como objetivos modernizar o parque tecnológico do hospital e ampliar a capacidade de assistência aos tratamentos de câncer de pacientes que utilizam o serviço de Oncologia do hospital.
O serviço de Oncologia – Unacon com Radioterapia, do Instituto Policlínica PB é referência e responsável pelo atendimento via Sistema Único de Saúde (SUS) em 22 municípios: Bom Sucesso do Sul, Chopinzinho; Clevelândia, Coronel Domingos Soares, Coronel Vivida, Honório Serpa, Itapejara D’Oeste, Mangueirinha, Mariópolis, Palmas, Pato Branco, São João, Saudade do Iguaçu, Sulina e Vitorino, no Paraná; e São Lourenço do Oeste, Jupiá, Campo Erê, Coronel Martins, Galvão, Novo Horizonte e São Bernardino, em Santa Catarina, com população somada de mais de 300 mil pessoas.
Após a assinatura, os recursos serão liberados para o Instituto em até 30 dias. A entidade sem fins lucrativos, responsável pela gestão hospitalar, já apresentou três orçamentos, conforme solicitado. Como o acelerador linear é produzido no exterior, a previsão é de que todo o processo de importação deva levar mais de seis meses.
Compartilhar