Indústria de transformação gera 4.160 postos de trabalho em Francisco Beltrão

por Evandro Artuzzi em 25 de julho de 2018 10:20
por Evandro Artuzzi em 25 de julho de 2018 10:20
Esta matéria utiliza fontes de: Redação com assessoria

A indústria da transformação é a terceira responsável por geração de empregos em Francisco Beltrão, com 4.160 postos de trabalho. O setor de serviços ocupa a primeira posição em vagas de trabalho, com 7.952 postos e o comércio emprega 6.750 trabalhadores.

Gráfico mostra situação econômica do Brasil. Foto: Evandro Artuzi/RBJ

Em relação às expectativas de novas vagas para aquecer a economia local, falando especificamente da indústria, em junho, a diferença entre o número de admitidos e desligados foi negativa. Ou seja, foram 184 vagas a menos em relação ao mês de maio. “O mercado de trabalho em nível nacional foi negativo. Ao longo do ano, esperava-se que houvesse uma recuperação lenta e gradual. Mas com a revisão do crescimento da economia para baixo, o mercado vai se ajustar a essa tendência. O que foi projetado pode não ser verificado. Além disso, o que tem dificultado a retomada é a greve dos caminhoneiros que afetou, principalmente, o setor de alimentos”, contextualiza Evânio Felippe, economista da Federação das Indústrias do Paraná.

O industrial ainda está buscando ajustes em sua linha de produção para saber se irá ou não contratar. A greve dos caminhoneiros em maio continua impactando na produção das indústrias. Dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostram que o faturamento das indústrias brasileiras caiu 16,7%. Além disso, no Paraná, o aumento médio de 17% na conta de energia elétrica pressionou ainda mais o industrial da região. “O momento é de avaliar o cenário. O industrial está ajustando os novos custos em sua produção para fazer ou não novos investimentos”, sinaliza Felippe.

Evânio Felippe, economista da Fiep, repassou os dados à empresários da cidade. Foto: EvandroArtuzi/RBJ

A indústria em Francisco Beltrão

Francisco Beltrão acumulou, em 2015, 2,60 bilhões de reais no Produto Interno Bruto (PIB) – que mede as riquezas geradas em um município. A cidade exportou no primeiro semestre 21 milhões de dólares. madeira (47,4%), móveis (37,6%), chapas de alumínios (12,6%) e máquinas e equipamentos (1,3%). “ A cidade tem uma pauta diversificada de produtos, o que mostra que vários setores buscam competir internacionalmente. Os principais destinos dos produtos República Dominicana, Uruguai, Reino Unido e Argentina.”, complementa o economista.

Boa parte das indústrias em Pato Branco são estabelecimentos de Transformação (383). Os principais setores industriais são metalmecânico (101), têxtil, couro e confecções (49), madeira e móveis (66) e alimentos e bebidas (48). A maior parte das indústrias (90%) é classificada como microempresas.

Compartilhar