Greve: Saiba quais serviços estão suspensos em Francisco Beltrão

por Francione Pruch em 29 de Maio de 2018 8:55
por Francione Pruch em 29 de Maio de 2018 8:55

A greve dos caminhoneiros entra na segunda semana em todo território nacional. Já é perceptível a mudança no dia a dia do brasileiro. A falta de combustível e gás de cozinha tem gerado no primeiro momento, o maior impacto. Com isso, as instituições estão paralisando as atividades, até que a mobilização termine.

Desde sábado (26), nenhum posto de combustível em Francisco Beltrão, tem para comercialização o etanol e gasolina, os que tem, o produto está destinado para o setor de saúde e segurança pública. O gás de cozinha segue a mesma linha, desde sexta-feira (25) a cidade está desabastecida.

Com a paralisação ganhando apoio da sociedade, a tendência é que prossiga por mais alguns dias. Devido a essa realidade, alguns serviços estão sendo paralisados.

Na administração pública, o setor de obras e viação foi o primeiro a sofrer com a redução de serviço, na sequência as escolas municipais, que a partir de terça-feira (28) não tem mais aula. A decisão também foi adotada pela APAE de Francisco Beltrão e as universidades, sendo elas UTFPR, Unioeste, Unisep, Unipar e Cesul.

“Vamos suspender as aulas da rede municipal, porém vamos manter as creches. Optamos por remanejar gás, alimentação e estrutura para dar manutenção aos serviços das creches”, comenta o prefeito de Francisco Beltrão, Cleber Fontana.

No domingo (27), o Núcleo Regional de Educação, também suspendeu no município, as aulas na rede estadual por tempo indeterminado.

O Transporte público municipal sofreu alterações. Buscando economizar combustível e atender a população, os horários de funcionamento acontecem em três etapas. A primeira das 5h50 até 9 horas, das 11h40 até 14 horas e no fim da tarde, das 17h00 até 23h20.

A área do transporte intermunicipal também registra cancelamento em linhas. A falta de combustível é o principal argumento das empresas.

Os serviços essenciais, como segurança e saúde seguem com as atividades normalmente, por lei esses segmentos não podem ser afetados pela mobilização.

No sudoeste do Paraná são mais de 20 pontos de bloqueios, sendo eu três deles estão localizados em Francisco Beltrão.

 

Compartilhar