Gaeco desmantela esquema de fraude nas filas do SUS

por Ivan Cezar Fochzato em 2 de agosto de 2018 16:49
por Ivan Cezar Fochzato em 2 de agosto de 2018 16:49
Esta matéria utiliza fontes de: Assessoria MPSC

O Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO) e a Subprocuradoria-Geral de Justiça para Assuntos Jurídicos do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) deflagrou, na manhã desta quinta-feira, 2, a Operação Emergência, desmantelando esquema de fraude da lista de espera por cirurgias pelo Sistema Único de Saúde (SUS), no Meio Oeste catarinense.

Foram cumpridas medidas em Caçador, Lebon Régis, Ibiam, Timbó Grande, Ibicaré, Videira, Rio das Antas, Calmon, Santa Cecília, Faxinal dos Guedes, Ponte Serrada e Balneário Camboriú.  São acusados de envolvimento,  agentes públicos e profissionais da saúde.

Foram realizadas buscas e apreensões em residências, empresas, consultórios médicos, órgãos públicos e hospitais. São apontados crimes de  inserção de dados falsos, concussão, corrupção ativa e passiva, falsidade ideológica, falsidade de atestado médico, fraude em licitação, entre outros crimes e atos de improbidade administrativa.

Conforme as instituições, a organização, simulando situações de emergência clínica e mediante pagamento ou outros interesses,  favorecia pacientes no atendimento de urgência hospitalar, burlando as filas onde estão centenas de pessoas que aguardam por procedimentos cirúrgicos  pelo SUS.

Também esquema de “fura-fila” no SUS, envolvendo agentes públicos e terceiros, que, mediante o pagamento indevido e violação das regras de organização e funcionamento do SUS, “agilizavam” o atendimento, em sua maioria no hospital em Caçador.

O Hospital Maicé de Caçador emitiu uma nota informando está auxiliando e disponibilizando tudo aquilo que for necessário para esclarecer os fatos e apurar as responsabilidades.

Compartilhar