Emprego: como as redes sociais podem atrapalhá-lo no mercado de trabalho

por Guilherme Zimermann em 21 de julho de 2018 13:28
por Guilherme Zimermann em 21 de julho de 2018 13:28
Esta matéria utiliza fontes de: Ricci Assessoria de Carreira

A forma de comunicação sofreu mudanças significativas com a chegada das redes sociais, que, com a sua difusão e grau de penetração social, não passaram despercebidas pelas empresas, muitas das quais têm investido consideravelmente na manutenção e atividade de seus perfis nas diferentes redes. Entretanto, não é somente para fins de marketing que as organizações se mantêm atentas ao ambiente digital. Um exemplo disso é a análise de perfis para a contratação de funcionários, daí a necessidade de se tomar cuidado com o seu comportamento nas redes sociais.

Um dos equívocos  mais comuns é acreditar que a natureza pessoal das redes sociais permite que o usuário se comporte como quiser. É um engano, visto que as empresas buscam conhecer melhor os seus futuros colaboradores. Por isso, muitas recorrem ao ambiente digital para isso, uma vez que a quantidade de informações disponíveis para análise permite que as organizações esbocem um perfil do profissional antes mesmo de contatá-lo.

O principal fator a ser analisado pelas empresas é se os valores do candidato correspondem àquilo que defendem como princípio. E até mesmo para funcionários já contratados este cuidado é válido. Afinal, não é raro o desacordo com os valores promovidos pela empresa gerar problemas. Há inúmeros exemplos de postagens infelizes que terminaram em demissão justificada.

Por questões de coerência ou de gestão de imagem cada vez menos são tolerados comportamentos que possam repercutir negativamente. E isto porque o funcionário é hoje entendido como parte ativa na propagação das convicções da empresa

Tenha atenção redobrada também às opiniões polêmicas. É hábito, e natural, que as pessoas comentem política, religião, comportamento e entretenimento nas redes sociais. Contudo, se o seu comentário gera discussões acaloradas, ou pode ser considerado ofensivo para algumas pessoas, a  melhor saída é se abster.

Um ponto preponderante é o estabelecimento de limites entre a sua vida pessoal e digital. Muitos usuários acabam transformando os perfis nas redes sociais em um verdadeiro diário, incluindo entre as postagens informações de cunho verdadeiramente íntimo. Este tipo de conteúdo pode acabar atrapalhando o candidato se analisado pela empresa durante o processo seletivo.  É importante ter atenção também às fotos para não passar uma impressão errada.

Comentários negativos sobre trabalho são outro problema recorrente. É importante atentar a estas condutas citadas, porque elas podem projetar a imagem de um candidato sem comprometimento ou profissionalismo. Para evitar que as redes sociais atrapalhem as suas chances durante um processo seletivo comece fazendo uma revisão de perfis. Remova tudo aquilo que for desnecessário ou que possa gerar mal-entendidos.

Mantenha também a sua foto de perfil atualizada e escolha com sabedoria. A preocupação aqui não é de ordem meramente estética, cuide apenas para manter o bom gosto. É igualmente importante que esta escolha tenha coerência com a imagem que você deseja projetar. Outra dica pertinente é mostrar sempre que possível a sua formação e eventuais certificações.

O que se pode concluir de tudo isso é que atualmente o processo seletivo começa muito antes das entrevistas de emprego. E por esta razão as empresas têm dado cada vez maior atenção ao que fazem os candidatos na internet. Fique atento e tenha os cuidados mencionados para não se prejudicar. Eles são a garantia de que as suas redes sociais servirão para promover a sua candidatura de forma positiva.

Compartilhar