Doadores de sangue são homenageados em Francisco Beltrão

por Evandro Artuzzi em 20 de Abril de 2018 14:31
por Evandro Artuzzi em 20 de Abril de 2018 14:31

Uma solenidade realizada na manhã de quinta-feira (19) na sala de reuniões da Prefeitura de Francisco Beltrão homenageou os cinco doadores de sangue que fazem doações com mais frequência no Hemonúcleo local. De todo o sangue coletado, metade é de doadores de Beltrão, índice considerado satisfatório. A homenagem foi organizada pela administração municipal, através da secretaria municipal de Saúde, 8ª Regional e Hemonúcleo.

Os homenageados receberam uma placa da secretaria municipal de Saúde e um certificado do Hemonúcleo. Doar sangue é uma solidariedade que salva vidas. Uma doação pode beneficiar até quatro pessoas. O sangue é utilizado em cirurgias, tratamentos de câncer, de doenças crônicas e para o atendimento de urgência, sendo insubstituível nesses casos.

Foram homenageados Joel Couto Dias (maior doador do município e 2º da região, com 66 doações no seus histórico); José Aldori Velho (2º maior doador do município e 3º da região, com 61 doações); Claudenir Ribeiro (3º maior doador do município e 4º da região, com 56 doações); Altair José Tonello (4º maior doador do município e 5º da região, com 54 doações) e Silvino Girardi (5º maior doador do município e 6º da região, com 52 doações).

José Aldoir Velho falou em nome dos homenageados e agradeceu a secretaria municipal de Saúde e demais entidades pelo reconhecimento. Afirmou que já faz doações há 20 anos e não pretende parar, pois sabe da importância de seu gesto para salvar vidas. Lembrou emocionado de uma senhora de Marmeleiro que fez uso do sangue e lhe agradeceu durante uma visita que fez a ela.

A secretária municipal de Saúde, Aline Biezus, ressaltou que sua equipe tem trabalhado intensamente para conscientizar a população sobre a importância de doar sangue. E o apelo tem dado resultado. Francisco Beltrão tem conquistado índices importantíssimos em relação ao número de doadores. Segundo ela, o município superou a média mundial. “A organização mundial de saúde cobra que a gente chega a uma média de 3 % de doação, por que o Brasil só atinge 1%, mas felizmente superamos isso, estamos com 5%, o que significa que temos mais de 3.700 doadores”, disse.

O enfermeiro Juliano Benvenuto Gazzi, diretor do Hemonúcleo, destacou a importância dos doadores. Segundo ele, a unidade de Francisco Beltrão atende, em média, 800 doadores por mês nos 27 municípios que fazem parte de sua área de atuação. Quanto a homenagem, garantiu que ela se estende a todas as pessoas que colaboraram, independentemente do número de vezes que fez a doação. “Não interessa se fez doação uma ou cem vezes, todos são importantes para nós”, frisou.

Ouça reportagem Onda Sul FM…

Fotos: Assessoria de imprensa

Compartilhar