MAGAZINE DE NATAL EXCLUSIVIDADE RBJ.COM.BR

Dia da Silvicultura: Palmas precisa de 540 mil hectares de florestas

por Ivan Cezar Fochzato em 7 de dezembro de 2018 10:51
por Ivan Cezar Fochzato em 7 de dezembro de 2018 10:51

Hoje, 07 de Dezembro, é o Dia Nacional da Silvicultura. Objetivo de sua instituição pelo governo é conscientizar produtores rurais e a sociedade sobre a sua importância, tanto para a economia como para o meio ambiente. A data é significativa para o município de Palmas, sul do Paraná, que  tem como componente de sua base econômica a indústria madeireira.

Toda a cadeia da silvicultura movimentou no município mais de R$ 65 milhões em 2017, de acordo com o Valor Básico de Produção(VBP) calculado pelo Departamento de Economia Rural da Secretaria da Agricultura e Abastecimento(SEAB/PR). Neste ano, entre janeiro e novembro, Palmas exportou US$ 137,536 milhões por meio da madeira compensada.

Nos próximos 15 anos a indústria madeireira local precisará de 540 mil hectares de florestas cultivadas para atender o consumo anual de 36 mil hectares de árvores. A indústria palmense é o maior polo de produção e exportação de compensados do pais, responsável por 33% de todo volume vendido ao exterior.

Foto: Zig Koch

Atualmente, metade da matéria-prima vem de outras  regiões. Com a necessidade de percorrer até 400 quilômetros(ida/volta) para buscar toras, a consequência é  elevação do  custo de produção e diminuição da competitividade. Os dados e análises são da Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente(ABIMCI), que em 2016 realizou um estudo, visando ampliação da silvicultura em Palmas e municípios próximos.

Aponta que para a fabricação do compensado são consumidos localmente,  114 mil toneladas de toras todos os meses,  1,3 milhões de toneladas anuais. Nesta microrregião, as florestas somam 44.638 hectares, sendo 16.461,20 hectares em Palmas;  Clevelândia, 3.976,10 hectares; Mangueirinha, 4.306,50; Honório Serpa, 1.048 hectares e Coronel Domingos Soares, com 18.895,10 hectares. A Abimci,defende projetos para plantio em áreas consideradas improdutivas para outras culturas e que podem ser utilizadas para reflorestamentos.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento lançou  na última quarta-feira(05) o Plano Nacional de Desenvolvimento de Florestas Plantadas (PlantarFlorestas), com ações previstas para os próximos dez anos. O objetivo é aumentar em 2 milhões de hectares a área de cultivos comerciais. Atualmente, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a área cultivada chega a 10 milhões de hectares, principalmente com eucalipto, pinus e acácias.

A Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) aprovou  o projeto de lei que institui o Plano Estadual de Florestas Plantadas, vinculado à Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SEAB). Na justificativa dos deputados proponentes, a criação do plano é necessária para a ampliação da base florestal no estado, estimulando a produção e o desenvolvimento silvícola.

Compartilhar