Desvalorização dos funcionários: sinônimo de chefia incompetente

por Juliana Raddi em 11 de Fevereiro de 2019 18:30
por Juliana Raddi em 11 de Fevereiro de 2019 18:30

Todas segunda-feira pela manhã é veiculado na Rádio Onda Sul FM, o Programa “Avante Segunda”, com apresentação do professor Luciano Steyer. Na ocasião são abordados questionamentos de ouvintes sobre gestão e carreira.

Luciano Steyer (Foto: Divulgação)

Pergunta: Minha empresa não valoriza seus melhores funcionários. Aqueles que realmente fazem a diferença são colocados à margem e o cordão dos puxa-sacos até promoções seguidas vem recebendo. Para terem uma ideia, recentemente tive o melhor desempenho semestral na equipe de vendas e a premiação ficou com o vendedor que completava 10 anos de casa. Tenho uma possibilidade de virar esse jogo? E caso fale sua orientação, temos um ‘plano B’?

Luciano é enfático ao iniciar a resposta ao ouvinte: “empresas que não valorizam seus melhores funcionários provavelmente tem chefias incompetentes” e cita a célebre frase de Steve Jobs: “tire-me daqui meus 200 melhores funcionários e a Apple será uma empresa igual às outras”, ou seja, o sucesso e desenvolvimento de uma empresa depende de seus funcionários.

(Imagem Ilustrativa)

Desse modo ele orienta o ouvinte a manter a serenidade e agendar uma conversa oficial com sua chefia, “colocar claramente sua insatisfação, inclusive a nível de premiações e se tiver a companhia de um ou mais colegas, com performances idênticas e pensamentos parecidos, suas chances de sucesso aumentaram bastante nesta conversa”. Segundo ele, é importante deixar as coisas claras e caso não obtenha sucesso começar a planejar a saída da empresa.

Quanto ao plano B, Luciano Steyer afirma: “tenho sim. Comece a propagar na empresa uma campanha contra seu chefe, faça corpo mole, já que de nada adianta seu esforço, pois não possui reconhecimento. Falte ao trabalho seguido e chegue atrasado toda segunda e saia mais cedo na sexta”. Essa campanha vai chamar atenção da chefia e dos colegas, “você irá mostrar que é muito corajoso e não admite injustiça” e finaliza dizendo que existem apenas duas opções: “prezado ouvinte, a escolha é entre o plano A e B, como tudo na vida!”.

Confira o áudio na íntegra:

 

Sobre Luciano Steyer

  • Possui graduação em Administração pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (1989) e Mestrado em Administração Universidade de Extremadura em convênio com a Faculdade de Administração e Economia de São Paulo, FAESP/IPCA (2003). Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Recursos Humanos e Consultoria de Marketing. Diretor Geral da UNISEP-FAED e UNISEP-FEFB de 2003 a 2010. Membro de Conselhos Municipais de Educação. Diretor Presidente da OPUS – Desenvolvendo Pessoas e criador da série DESPONFA – personagem de histórias exibidas em animação 2D com ambientação no mundo corporativo e educacional.
Compartilhar