MAGAZINE DE NATAL EXCLUSIVIDADE RBJ.COM.BR

Crimes ambientais são combatidos na fronteira com a Argentina

por Evandro Artuzzi em 7 de julho de 2018 21:05
por Evandro Artuzzi em 7 de julho de 2018 21:05

A Polícia Federal desencadeou na última quinta-feira (5), com apoio de fiscais do ICMbio e policiais militares do BPFron, mais uma operação de combate aos crimes ambientais na região do Parque Nacional do Iguaçu. Na ocasião, foi feito patrulhamento do Rio Iguaçu na área do parque, que abrange os municípios de Capanema, Céu Azul e a fronteira com a Argentina.

De acordo com o policial federal Gildeto Meira, foram percorridos mais de 50 km no curso dos rios Floriano, Santo Antônio e Iguaçu. Também foram feitas incursões terrestres dentro do Parque Nacional do Iguaçu, sendo encontrada uma Anta de aproximadamente 90 kg, morta possivelmente por caçadores, e destruídos três campos de caça clandestina, destinada ao abate de animais silvestres.

Gildeto lembra que operações de fiscalização tem acontecido semanalmente com intuito de inibir a ação de caçadores na região do parque. Mesmo assim, o apoio da população é importante para a preservação da fauna e da flora no local. Se alguém souber de qualquer ação predatória, pode denunciar para os órgãos de fiscalização para que as providencias possam ser adotadas.

Imagens: Polícia Federal

Crimes ambientais são combatidos na fronteira com a Argentina

A Polícia Federal desencadeou na última quinta-feira (5), com apoio de fiscais do ICMbio e policiais militares do BPFron, mais uma operação de combate aos crimes ambientais na região do Parque Nacional do Iguaçu. Na ocasião, foi feito patrulhamento do Rio Iguaçu na área do parque, que abrange os municípios de Capanema, Céu Azul e a fronteira com a Argentina.De acordo com o policial federal Gildeto Meira, foram percorridos mais de 50 km no curso dos rios Floriano, Santo Antônio e Iguaçu. Também foram feitas incursões terrestres dentro do Parque Nacional do Iguaçu, sendo encontrada uma Anta de aproximadamente 90 kg, morta possivelmente por caçadores, e destruídos três campos de caça clandestina, destinada ao abate de animais silvestres.Gildeto lembra que operações de fiscalização tem acontecido semanalmente com intuito de inibir a ação de caçadores na região do parque. Mesmo assim, o apoio da população é importante para a preservação da fauna e da flora no local. Se alguém souber de qualquer ação predatória, pode denunciar para os órgãos de fiscalização para que as providencias possam ser adotadas.Imagens: Polícia Federal

Posted by Evandro Artuzi on Saturday, July 7, 2018

 

Compartilhar