Agricultor do Sudoeste afirma ter visto cobra voadora

por Evandro Carlos Artuzzi em 26 de Janeiro de 2019 16:37
por Evandro Carlos Artuzzi em 26 de Janeiro de 2019 16:37
Esta matéria utiliza fontes de: Edvaldo Mota - Interativa FM

Em meio ao aparecimento de tantas cobras em nossa região nos últimos dias, uma tem se destacado. Trata-se de um caso de uma suposta cobra voadora. A serpente teria sido vista na área rural de Capanema, no Sudoeste do Paraná. O agricultor Olirio Ireno Kauffman, morador da comunidade de Estrela do Oeste, entrou em contato com o jornalista Edvaldo Motta, da Interativa FM de Capitão Leônidas Marques, para relatar o surgimento de uma cobra voadora, avistada por ele no início da tarde de quinta-feira (24), perto da casa onde ele mora, em frente à igreja da comunidade.

Assustado, o homem contou que estava em casa no momento em que viu uma cobra, que segundo ele, era bem grande, passar voando a uns 30 metros de altura e se embrenhar em meio à mata fechada na região do Parque Nacional.

Segundo o morador, a suposta cobra voadora, que segundo ele media entre seis a oito metros, teria vindo da localidade conhecida como Ouro Azul. Questionado sobre a veracidade, o agricultor diz que não tem idade para ficar inventando coisas.

Cobra voadora realmente existem?

Algumas serpentes realmente são chamadas assim, mas, na verdade, elas não voam e sim planam. Essas espécies de cobras, encontradas apenas nas florestas tropicais do Sul e Sudeste da Ásia, são capazes de percorrer no ar distâncias de mais de 100 metros, fazendo curvas de 90 graus durante a trajetória. Mas elas não conseguem decolar do chão, por isso, tecnicamente não voam.

Para planar, as serpentes têm que partir de um lugar alto, como copas de árvores, além de modificar suas formas para melhorar a aerodinâmica.  Uma das hipóteses é que elas planam ao fugir de predadores – macacos e outras cobras – e ao perseguir suas presas – pequenos lagartos, pássaros, sapos e morcegos. Outra tese é de que elas usam o recurso simplesmente para se deslocar de um lugar a outro.

Ouça reportagem Extra FM…

Compartilhar