Agricultor chopinzinhense é internado após contato com taturana

por Edson Zuconelli em 12 de Janeiro de 2018 16:27
por Edson Zuconelli em 12 de Janeiro de 2018 16:27

Lagarta Lonomia, também conhecida como taturana. foto: Edson Zuconelli.

Lagarta Lonomia, também conhecida como taturana. foto: Edson Zuconelli.

Com a chegada do verão, os setores de saúde alertam a população sobre os perigos do contato com a lagarta Lonomia, também conhecida como taturana. Entre a primavera e o verão é o período de maior incidência da lagarta.

Na última segunda-feira (08), a agricultora Tereza Grielber, 60 anos, faleceu após ter tocado em uma taturana enquanto trabalhava em sua propriedade, no interior de Dionísio Cerqueira, Oeste de Santa Catarina.

+ Morte de agricultora lança alerta sobre riscos de acidentes com taturanas

Na última quarta-feira (10) mais um caso de acidente com a lagarta foi registrado pelas autoridades de saúde da região. O agricultor Sebastião Nunes Dalmazo, 59 anos, foi levado ao hospital devido ao contato com o inseto. Sebastião estava trabalhando em sua propriedade na comunidade da Barra do Bugrinho, interior de Chopinzinho.

Segundo a coordenadora de Vigilância em Saúde de Chopinzinho, Sandra Toigo, caso ocorra o contato com o inseto, o socorro deve ser imediato. Para os agricultores o indicado é que se utilizem camiseta de manga longa, botas e luvas. A orientação para casos de acidente é colocar compressas de água fria no local da queimadura e procurar imediatamente atendimento médico e, se possível, levando a lagarta junto.

A Lonomia, também conhecida como taturana, apresenta coloração marrom-esverdeada, com cerdas verdes e pontas pretas, em formato de pinheirinho. Tem em torno de 6 cm de comprimento e costuma ficar em grupos, de 200 a 300 indivíduos.

Nas suas cerdas fica a toxina, capaz de provocar efeitos como dor, inchaço, vermelhidão, sensação de queimação e também problemas sistêmicos, como hemorragia e de coagulação, que podem levar a óbito.

A melhor maneira de evitar acidentes é pintando os troncos das árvores (com cal ou tinta branca), para que seja facilitada a visualização e também quando for manusear galhos, pomares ou trabalhar no jardim, utilizar luvas e mangas compridas para a proteção.

Compartilhar