MAGAZINE DE NATAL EXCLUSIVIDADE RBJ.COM.BR

57% das rodovias do país apresentam algum tipo de problema

por Juliana Raddi em 17 de outubro de 2018 16:50
por Juliana Raddi em 17 de outubro de 2018 16:50
Esta matéria utiliza fontes de: Confederação Nacional do Transporte

(Imagem Ilustrativa)

 

A 22ª edição da Pesquisa CNT (Confederação Nacional do Transporte) de Rodovias divulgada nesta quarta-feira (17), avaliou mais de 107 mil quilômetros em todo o país. Foram considerados aspectos do pavimento, da sinalização e da geometria da via, classificados em ótimo, bom, regular, ruim ou péssimo.

Segundo a pesquisa 57% das rodovias do país apresentam algum tipo de problema, uma melhora se considerado o percentual de 2017 de 61,8%. O registro de 454 pontos críticos (situações que podem trazer grave risco à segurança dos usuários da via) representou aumento de 25,1% em relação ao ano anterior.

Em relação ao pavimento, 50,9% dos trechos avaliados receberam classificação regular, ruim ou péssima. Na sinalização, 44,7% da extensão das rodovias apresentaram algum tipo de deficiência. Quando o aspecto é a geometria da via, 75,7% da extensão das rodovias brasileiras foram classificadas com regular, ruim ou péssima.

No Paraná, foram avaliados 6.330 km sendo que 56,6% das rodovias foram consideradas em situação regular, ruim ou péssima e 43,4% obtiveram classificação ótima ou boa.

 

Prejuízo anunciado

(Imagem Ilustrativa)

O objetivo da pesquisa é oferecer dados sobre a real situação das rodovias, desse modo auxiliando no planejamento e operação de transporte à caminhoneiros autônomos e demais transportadores de todo o país. Já que somente os problemas no pavimento geram um aumento médio de 26,7% no custo operacional do transporte, que envolve entre outros, custos com manutenção dos veículos, consumo de combustível, lubrificantes, pneus e freios.

O presidente da CNT, Clésio Andrade comenta que a falta de investimentos é a principal causa das péssimas condições das rodovias brasileiras e destaca que, “para corrigir os problemas mais urgentes seria necessário um orçamento sete vezes maior do que o orçado pelo governo federal para todas obras em transporte rodoviário este ano, que é de R$ 6,92 bilhões”. Segundo ele são necessários R$ 48,08 bilhões para corrigir os problemas mais urgentes, como reconstrução, restauração e readequação das vias desgastadas.

Realizada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest Senat), a Pesquisa CNT de Rodovias é a maior avaliação de infraestrutura rodoviária realizada no país. O relatório completo está disponível para consulta pelo site www.cnt.org.br.

 

Compartilhar