Exportação da madeira de Palmas acompanhou crescimento estadual

por Ivan Cezar Fochzato em 9 de Fevereiro de 2018 16:54
por Ivan Cezar Fochzato em 9 de Fevereiro de 2018 16:54

A madeira foi um dos três produtos da pauta de exportações paranaenses que teve saldo positivo em 2017, apesar do resultado médio negativo das vendas pela  indústria do Estado, pelo quarto ano consecutivo. A comercialização no exterior  da produção de compensados pela indústria de Palmas (256,6 mil toneladas), por exemplo, movimentou US$ 133,8 milhões, 17,8% mais que no ano anterior. Já o aumento estadual médio do segmento foi de 17,34%.

Os dados da pesquisa Indicadores Conjunturais, da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) mostram que no acumulado, desde 2014 a retração já soma 23,16%. O economista da entidade, Roberto Zurcher, observou que quatro anos de quedas sucessivas é algo inédito.  Apontou que o fraco desempenho do faturamento industrial é consequência dos típicos e clássicos problemas da economia nacional, como gastos públicos excessivos e crescentes e reduzida produtividade; carga tributária e encargos sociais elevados; reduzidos grau e padrão de escolaridade; infraestrutura deficiente e repleta de gargalos e baixos níveis de poupança e de investimento.

A expectativa é que em 2018 a indústria paranaense continue  em direção à recuperação, mas deverá ser marcado por muita perseverança e disciplina para atingir o nível de 2013. Conforme ele, os indicadores mostram ainda que o avanço dependerá das reformas estruturais que venham ou não a serem implantadas.

Segundo análise econômica, a tendência é que o nível de emprego também dê sinais de recomposição, mas certamente numa proporção menor. O emprego no setor industrial caiu no total 5,58% em 2017 em comparação com 2016.

A  queda de 2,16% nas vendas foi motivada pelo desempenho negativo de dez dos 18 gêneros pesquisados: Refino de Petróleo e Produção de Álcool (-18,54%); Borracha e Plásticos (-13,58%); e Couros e Calçados(-11,84%). Os três com maiores crescimentos foram: Madeira'(+17,34%); Minerais não Metálicos(+14,07%); e Celulose e Papel’ (+11,74%).

A balança comercial de toda a produção industrial de Palmas fechou 2017 com US$ 170,5 milhões com crescimento de 15,88% em relação ao ano anterior. Se para a madeira o crescimento  foi 17,8%, a Heparina e o Sulfato de Condroitina – produtos do setor farmacêutico – registraram aumento 9,66% em suas vendas externas. Já o setor frigorífico aumentou as vendas em 19,20%.Palmas tem a 13ª maior balança do Paraná e 139ª maior do país.

Compartilhar