Evangelizar partindo de Cristo

por Luiz Carlos em 14 de dezembro de 2018 8:48
por Luiz Carlos em 14 de dezembro de 2018 8:48

Dom Edgar Ertl

Coleta para a Ação Evangelizadora no Brasil

O site da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), publicou há poucos dias o convite aos católicos à Coleta para a ação evangelizadora, escrevendo que o objetivo desta ação é despertar os discípulos e as discípulas missionários para o compromisso evangelizador e para a responsabilidade pela sustentação das atividades pastorais no Brasil, está entre os principais enfoques da Campanha para a Evangelização deste ano, que acontece em sintonia com a Exortação Apostólica do Papa Francisco: Gaudete et Exsultate, sobre o chamado à santidade no mundo atual, com o lema “Evangelizar partindo de Cristo”.

A Campanha foi aberta na Festa do Cristo Rei e Dia dos Cristãos Leigos e Leigas, encerramento do Ano Litúrgico, no dia 25 de novembro/18. A conclusão acontece no terceiro domingo do Advento, dia 16 de dezembro/18 quando deve ser realizada, em todas as comunidades católicas, a Coleta para a Ação Evangelizadora no Brasil, que pretende apoiar as inúmeras iniciativas da Igreja no Brasil no serviço da evangelização, da dinamização das pastorais, na luta pela justiça social, nas experiências missionárias das Igrejas irmãs e na missão ad gentes.

O gesto concreto de colaboração na Coleta da Campanha para a Evangelização será partilhado, solidariamente, entre as arquidioceses, dioceses e prelazias, que receberão 45% dos recursos; os 18 regionais da CNBB que terão 20% e o Secretariado-geral da CNBB que contará com 35% das contribuições. A Igreja no Brasil, mais uma vez, faz um forte apelo para que nossas comunidades locais se motivem na comunhão e na participação para que, por meio dessa partilha, muitas iniciativas de evangelização sejam fortalecidas

Unidos com a Igreja do Brasil, com a Diocese de Palmas-Francisco Beltrão, para que esta Campanha da Evangelização possa produzir frutos de qualidade na missão permanente de anunciar o Evangelho, partindo de Jesus Cristo, o Evangelizar por excelência. Queremos sustentar toda a ação evangelizadora da nossa Igreja com nossa contribuição, nossa doação, fruto da consciência de que tudo o que temos e somos recebemos gratuitamente do Senhor.

“Que devemos fazer”?

Esta foi a pergunta da multidão a João Batista no Evangelho deste 3º Domingo do Advento. Trata-se da pergunta mais importante que podemos colocar a Jesus. E o que devemos, pois, fazer? A resposta de João Batista é muito simples: pratiquem a justiça, partilhem o que possuem com aqueles que não tem, trabalhem com honestidade, não explorem, não roubem, não mintam, não soneguem os impostos, pratiquem uma religião autêntica… Oxalá que o nosso testemunho de vida dê margem à mesma pergunta por parte daqueles que convivem conosco, nossos familiares, amigos, os que se dedicam às atividades apostólicas em nossa diocese, paróquias e comunidades de fé.

Ante o primeiro sermão de Pedro após o dia de Pentecostes, centrado na morte e ressurreição do Senhor, seus ouvintes perguntaram espontaneamente: “Que haveremos de fazer, irmãos?” Pedro responde: “Convertam-se” (At 2,37-38). Os evangelhos nos trazem essa exigência desde o primeiro anúncio do Reino. Jesus é que adverte à conversão: “Cumpriu-se o prazo e está próximo o reinado de Deus: arrependei-vos e crede na boa notícia” (Mc 1,15). A conversão significa uma mudança de comportamento, um enfoque diferente da vida.  É tudo o que Ele nos pede para sermos seus autênticos seguidores. Advento é tempo favorável à conversão, à mudança de comportamento e atitudes não condizentes com os princípios do Evangelho.

Juntamos nossas alegrias às de tantas pessoas que estão na busca do bem, experimentando a força criativa de Deus que pulsa dentro de nós. Jesus Cristo, a esperança do mundo, que vem e sempre virá, é o sentido da alegria cristã e do Natal que se aproxima.

 

Compartilhar