Escola de Política e Fé em Francisco Beltrão

por Luiz Carlos em 16 de Março de 2018 9:16
por Luiz Carlos em 16 de Março de 2018 9:16

“Cada um, como bom administrador da multiforme graça de Deus, ponha a serviço dos outros os dons, os carismas que tiver recebidos” (1Pd 4,10).

Revisitando o Concílio Vaticano II, na Constituição Dogmática Lumen Gentium, cujo Capítulo IV aborda de forma integral o tema dos leigos, encontramos uma indicação clara e objetiva “do ser e do agir dos leigos”, particularmente na sociedade, no chão da realidade que fundamenta o Ano Nacional do Laicato: “A vocação própria dos leigos é administrar e ordenar as coisas temporais, em busca do Reino de Deus. Vivem, pois, no mundo, isto é, em todas as profissões e trabalhos, nas condições comuns da vida familiar e social, que constituem a trama da existência. Nestes ambientes são chamados por Deus, como leigos, a viver segundo o espírito do Evangelho, como fermento de santificação no seio do mundo, brilhando em sua própria vida pelo testemunho da fé, da esperança e do amor, de maneira a manifestar Cristo a todos os homens. Compete-lhes, pois, de todo especial, iluminar e organizar as coisas temporais a que estão vinculados, para que elas se orientem por Cristo e se desenvolvam em louvor do Criador e Redentor” (LG 31).

A Diocese de Palmas – Fco. Beltrão, há décadas está sintonizada com a caminhada da Igreja Pós-conciliar, primando pela promoção e formação de leigos para atuarem como batizados, em Jesus Cristo, em diferentes ministérios e serviços apostólicos. Não somente ad intra. Com certeza são centenas de leigos atuantes em diversos setores da sociedade Sudoestina. São incontáveis os cristãos leigos que atuam através de seus trabalhos em instituições como faculdades, escolas, hospitais, asilos, creches, meios de comunicação, empresas, na economia e na política e outros setores da vida pública. Estes leigos, pelo seu testemunho evangelizam e contribuem para a expansão do anúncio da Boa Notícia de Jesus Cristo.

Quero destacar a importância dos leigos no mundo da política, todavia, da política como arte e serviço à sociedade e promoção dos seres humanos, e não como “cabide de emprego”, ou “quase profissão” e, sobretudo a politicagem que estamos assistindo diariamente no Brasil, no Paraná e aqui no Sudoeste, especialmente agora neste ano eleitoral, onde os municípios estão recebendo, através dos deputados, valores incalculáveis para obras de todos os portes, ou melhor, promessas de verbas que “serão aplicadas”, dando-nos a impressão que todos os recursos acumulados em Curitiba ou/e Brasília, nos três anos anteriores, agora enfim, chegou a hora de distribuí-la. Ledo engano! Pasmem! Obviamente que nós eleitores estamos vivendo sob uma grande desconfiança generalizada sobre a conduta ética de vários políticos.

Sendo, assim, a Igreja Diocesana preocupada com os caminhos pelos quais muitos políticos estão trilhando, contrariando o Evangelho, os princípios éticos e morais, traindo seus eleitores, têm uma proposta concreta para contribuir com os leigos que pretendem servir-nos nesta nobre arte da genuína e pura ação para o bem comum através do exercício da política inteligente, exercendo temporariamente um serviço público.

Qual será nossa contribuição concreta como Igreja ao Sudoeste do Paraná? Trata-se da Escola de Política e Fé. Nosso objetivo principal é contribuir para a formação de lideranças das várias áreas de atuação no tecido social, a partir de uma leitura da conjuntura social, política e econômica, da Sagrada Escritura e da Doutrina Social da Igreja, que permita um diálogo responsável e comprometido, visando a construção de uma sociedade fraterna, justa e solidária. Destinamos nossa Escola para lideranças comunitárias, sociais e sindicais; agentes de pastorais e movimentos; funcionários públicos; vereadores, prefeitos, estudantes, líderes de ONGs, lideranças de organizações populares e outros. Queremos que a fé inspire a ação política. É o que objetivamos. A Escola de Política e Fé inicia-se neste sábado, 17 de março de 2018, início às 07h30min e término às 17h, na Casa de Formação Divino Mestre, em Francisco Beltrão, e serão 10 etapas, concluindo no dia 15 de dezembro de 2018. A Escola estará sob a coordenação do Pe. Emerson Detoni.

Dom Edgar Ertl

Compartilhar