Doutrina Social da Igreja

por Luiz Carlos em 29 de setembro de 2018 17:41
por Luiz Carlos em 29 de setembro de 2018 17:41

Dom Edgar Ertl

Continuando a reflexão da semana passada, ressaltamos que o cristão sabe poder encontrar na Doutrina Social da Igreja os princípios de reflexão, os critérios de julgamento e as diretrizes de ação donde partir para promover esse humanismo integral e solidário. Difundir a tal doutrina constitui, portanto, uma autêntica prioridade pastoral, de modo que as pessoas, por elas iluminadas, se tornem capazes de interpretar a realidade de hoje e de procurar caminhos apropriados para a ação: ‘O ensino e a difusão da doutrina social fazem parte da missão evangelizadora da Igreja (cf. Compêndio da Doutrina Social da Igreja, n. 7).

A Igreja, ‘perita em humanidade’ (Paulo VI, Populorum progressio, 13), em uma esfera confiante e ao mesmo tempo operosa, continua a olhar para os ‘novos céus’ e para a ‘terra nova’ (2Pd 3,13), e a indicá-los a cada homem, para ajudá-lo a viver sua vida na dimensão do sentido autêntico. ‘Glória Dei vivens homo’: o homem que vive em plenitude a sua dignidade, dá glória a Deus, que lha conferiu” (Ibidem). A Doutrina Social da Igreja objetiva ainda dar sustento e animar a ação dos cristãos em campo social, especialmente os fiéis leigos, dos quais este âmbito lhe é próprio; toda a sua vida deve qualificar-se como uma fecunda obra evangelizadora, e deve fazê-la em nome de nosso Senhor Jesus Cristo (cf. Lc 5,5).

Cinco Papas, sucessores de Leão XIII, insistiram em comemorar esse grande aniversário de 15 de maio de 1891: 1) Pio XI em 1931, com a encíclica Quadragesimo anno; 2) Pio XII em 1941, com o discurso de Pentecostes; 3) João XXIII em 1961, com a Mater et Magistra; 4) Paulo VI em 1971, com a Octagesima Adveniens; 5). João Paulo II com as Encíclicas Laborens Exercens (1981), Sollicitudo rei socialis (1987) e a Centesimus Annus (1991). Nossos dois últimos papas também publicaram Encíclicas/Exortação Sociais. Bento XVI publicou a Encíclica Caritas in Veritate, em 2009. O Papa Francisco publicou a Exortação Apostólica Evangelli Gaudium, em 2014 e a Encíclica Laudato Si (2015).

São João XXIII afirmou que o método da Doutrina Social da Igreja consiste em “ver, julgar, agir” (Mater et magistra 236), cuja formulação com essas palavras se deve à Juventude Operária Católica, então liderada por Monsenhor Josef-Léon Cardeal Cardijn, que trabalhou pelo compromisso social da Igreja Católica. no início do século XX e fundador da Juventude Operária Católica. No Documento de Aparecida, 19 – cujo comitê de redação foi presidido por cardeal Bergoglio – diz-se que “ver” é um “ver” de fé, com ritmo trinitário, embora use mediações fornecidas pela experiência, pela filosofia e pelas ciências humanas e sociais. Esse é o “modo de proceder” do Papa Francisco para governar a Igreja e acompanhar a humanidade, discernindo a Vontade de Deus nos sinais dos tempos, como o Vaticano II exige da Igreja.

Os resultados sociais e políticos das orientações sociais da Igreja foram expressivos e fecundos; produziram quadros humanos e políticos que puderam contribuir com a construção social e política de muitos povos. Muitos cristãos se lançaram, desde então, na tarefa de discernir a atuar na história como sujeitos politicamente responsáveis. Não sem conflitos, cristãos participaram, em nome da fé, da constituição da política moderna nos seus diversos modelos e regimes, e buscaram discernir suas posturas à luz dos princípios da mesma fé.

Auguramos que esta experiência já realizadas especialmente neste Ano Nacional do Laicato, muitos leigos e leigas de nossa Diocese de Palmas – Francisco Beltrão, sejam na Igreja e na sociedade sal da terra e luz do mundo (cf. Mt 5,13-14), principalmente para a dimensão da política, tão desacreditada, neste novo milênio e que seja renovada nas próximas eleições, quando pretendemos escolher pessoas novas e comprometidas com a verdade, com a justiça e, sobretudo, com àqueles que são eternamente esquecidos na sociedade atual. Porque a Igreja sente a necessidade de maior presença do laicato católico no âmbito político, com convicções éticas e religiosas, tornando-se referência nos espaços políticos.

Compartilhar