MAGAZINE DE NATAL EXCLUSIVIDADE RBJ.COM.BR

BEM-VINDA PRIMAVERA

por Luiz Carlos em 25 de setembro de 2017 8:46
por Luiz Carlos em 25 de setembro de 2017 8:46

1Como a primavera, a alegria faz desabrochar as flores da natureza humana

(São João Paulo II).

Estamos em setembro. Mês da Bíblia e início da primavera nesta parte do globo. É da Palavra de Deus que tiramos o texto que nos inspira e nos guia nesse artigo: “Porque passou o inverno, as chuvas pararam e se foram, brotam flores na várzea, chega o tempo de podar, e o canto da rola está se ouvindo em nossos campos; despontam os frutos na figueira e a vinha florida exala perfume” (Cânt. 2,11-13). Ainda. “As colinas se enfeitam de alegria, e os campos, de rebanhos, nossos vales se revestem de trigais, tudo canta de alegria” (Sl 64, 13b-14).

A primavera é uma estação atraente pela sua beleza expressa nas flores perfumadas, nas brotações das pequenas às grandes árvores, do canto dos pássaros, do sol que brilha com majestade e esplendor nos proporcionado um clima de tranquilidade. Nela sentimos que a vida ganha novo sentido, a natureza fica leve, acolhedora, verde e iluminada. Podemos então dizer que há uma alegria natural e misteriosa, ao mesmo tempo, que contagia e que nos transforma em pessoas mais amorosas e benévolas.

Na primavera, quando a vida ao nosso redor desponta, somos convidados a deixar nossos lugares fechados, escuros, mofos e frios para sairmos aos campos, aos jardins, às praças, aos parques e, ir ao encontro da beleza, do diferente, da vida nova, da vida que se manifesta em coisas simples e, às vezes, até insignificantes, como respirar o ar puro para desfrutarmos do frescor que nos enche de encanto e contentamento, de paz, de serenidade, tão simplesmente para contemplar com júbilo essa nova estação.

Jesus, no Sermão da Montanha, usa muitas vezes imagens tiradas da natureza a serviço dos seus ensinamentos, revelando sua sensibilidade contemplativa: “Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham nem fiam, contudo vos digo que nem Salomão em toda a sua glória se vestiu como um deles” (Mt 6,29).

Na Tradição da Igreja muitos teólogos deixaram registrados que a natureza é como um “livro esplêndido onde Deus nos fala e transmite algo de sua beleza e bondade”. Parece-me que precisamos retomar nossa relação com a “casa de todos”, a casa comum, a casa que não poderia em hipótese alguma ser destruída e desconsiderada, como algo alheio à nossa existência, como se pudéssemos existir sem ela. Ledo engano! O cuidado da natureza faz parte dum estilo de vida que deveríamos assumir urgentemente. Não podemos mais tratar o meio ambiente como “outro lugar” de menor significância. Lutaremos por um Sudoeste sem agrotóxicos em nenhuma hipótese!

O Papa Francisco nos surpreendeu, em 2015, com um tema de grande relevância à humanidade, ao planeta em todos os âmbitos e sentidos ao publicar a Carta Encíclica Laudato Si, sobre o cuidado da casa comum. Ele nos ajuda a contemplar a natureza como obra do Criador: “Os Salmos convidam, frequentemente, o ser humano a louvar a Deus: ‘Estendeu a terra sobre as águas, porque o seu amor é eterno’ (Sl 135, 6). E convidam também as outras criaturas a louvá-Lo: ‘Louvai-O, sol e lua; louvai-O, estrelas luminosas! Louvai-O, alturas dos céus e águas que estais acima dos céus! Louvem todos o nome do Senhor, porque Ele deu uma ordem e tudo foi criado’” (Sl 148, 3-5). Deixemos o pontífice falar: “E o cristão é uma pessoa mais de primavera, que espera o fruto, que espera a flor, que espera o sol, do que uma pessoa de outono, que olha para baixo, sempre amargurado, com a cara de pimenta em vinagre”.

Que o tempo presente nos ajude a sermos mais contemplativos e sensíveis às realidades da natureza e ao Criador. Talvez nem tempo tenhamos para dar uma olhada pela janela para perceber as mudanças que acontecem próximas dos lugares onde vivemos ou trabalhamos. Todavia, vamos, quem sabe, nesse período do ano, não ignorando todas as crises das instituições em geral que assolam o Brasil, reverter o quadro dos valores, e entre eles, perceber o que a natureza, o planeta em que habitamos, a primavera de 2017, o que o Criador, na sua bondade quer nos oferecer, no Sudoeste do Paraná, a fim de que a nossa vida seja mais alegre, colorida, perfumada e menos inverno!

Dom Edgar Ertl

Os comentários para esta matéria estão desabilitados. Caso deseje comentar sobre este conteúdo, fique a vontade em utilizar o botão do Facebook logo no inicio da matéria para compartilhar seus comentários através de seu perfil na rede social.
Compartilhar