Advento, aproximação do Salvador!

por Luiz Carlos em 1 de dezembro de 2018 8:10
por Luiz Carlos em 1 de dezembro de 2018 8:10

Domingo, 02 de dezembro de 2018, iniciamos o Novo Ano Litúrgico, com o Primeiro Domingo do Advento. ‘Advento’ – palavra de origem latina que significa “chegada”, “aproximação”, “vinda”. Aproxima-se, então, a celebração do Natal, data em que a Igreja festeja o nascimento do menino Jesus, em Belém. É a segunda maior festa cristã, depois da Páscoa da Ressurreição de Jesus. O tempo do Advento prepara os fiéis para a renovação da fé em Jesus, despertando em si mesmo, sobretudo, atitudes de espera e de acolhida do Redentor e Salvador da humanidade.

Outro aspecto importante do Advento, ou seja, destas quatro semanas que antecedem o Natal que é um tempo de alegria, de espera e esperança. Um momento de forte mergulho na liturgia e na mística cristã. Neste período, há o despojamento das igrejas, é usada a cor roxa, não se canta o hino do Glória e as leituras ajudam a refletir sobre o mistério do Cristo que virá no final dos tempos. Ao longo do Advento, também somos convidados a ir em direção a Belém. Queremos, no final dessa caminhada, acolher o presente que Deus nos dará: O Menino Jesus, o Salvador, seu Filho.

A coroa do Advento

Em muitos lugares há o costume da coroa do Advento. Pode ser feita com ramos verdes, envolvida por uma fita vermelho e 4 velas nela afixadas. Ela simboliza e comunica que aquele lugar vivem pessoas que se preparam com alegria para celebrar a vinda de Deus ao mundo, o Natal.

As quatro velas da coroa seguem um progressivo acender, até que no quarto domingo de Advento são acessas as quatro velas, sinal da luz que nos é dada em plenitude, através do nascimento de Belém.

O círculo da coroa simboliza a nova aliança de Deus com a humanidade. Esta nova aliança é celebrada no sacramento da Santa Ceia. À forma circular também dá-se o sentido de eternidade: sem início e sem fim.

Os ramos verdes, mesmos cortados, permanecem esverdeados e comunicam esperança. A esperança cristã aponta à perseverança e à entrega total da vida humana a Deus.

A fita vermelha na tradição litúrgica está ligada à cor do fogo e do sangue e indica sacrifício da cruz. A nova aliança é realizada na plenitude do amor: vida que nos foi dada.

Propósitos de vida

Ao iniciarmos este tempo litúrgico com o Tempo do Advento, tempo de espera do Senhor e tempo de intensificar o nosso desejo pela realização de seu Reino entre nós. Nossa fé em Jesus Cristo nos leva a ver estas esperanças já realizadas nele, por isso nos alegramos em preparar a celebração do seu Natal, vigilantes aos sinais de sua vinda no meio de tudo o que acontece no dia a dia, no Brasil, no Paraná e, sobretudo, na Diocese de Palmas – Francisco Beltrão.

Do Evangelista Lucas, neste Primeiro Domingo do Advento, vem-nos as palavras de Jesus: “Portanto, ficai atentos e orai a todo momento, a fim de terdes força para escapar de tudo o que deve acontecer e para ficardes em pé diante do Filho do Homem” (Lc 21,36). E Advento é precisamente isso, um tempo de preparação e espera – e espera ansiosa – justamente pela chegada desse dia. Mas é uma espera que não é mera passividade. Por isso, estejamos vigilantes em oração e atentos às coisas fundamentais da vida. Capazes de discernimento entre opções fundamentais das circunstanciais, passageiras e desnecessárias. Desejo aos nossos leitores um tempo de Advento sob a ótica da chegada, aproximação e espera de Jesus, o Salvador do mundo.

Dom Edgar Ertl

Compartilhar