Presidente da Coamo fala sobre estimativas da safra 2018/2019

por Guilherme Zimermann em 24 de Janeiro de 2019 13:48
por Guilherme Zimermann em 24 de Janeiro de 2019 13:48

Foto: Arquivo/RBJ

Em visita a Palmas, Sul do Paraná, na quarta-feira (24), o presidente da Coamo Agroindustrial Cooperativa, José Aroldo Gallassini, em entrevista à Rádio Club/RBJ, falou sobre as projeções dos preços das commodities, das perspectivas em torno dos novos governos do estado e também federal, além de comentar sobre as estimativas da safra de grãos 2018/2019.

Conforme ele, o plantio precoce na região Oeste do Estado, que enfrentou um período considerável de estiagem no final de 2018, acabou prejudicando a safra, com uma quebra significativa. “Vamos receber menos soja, por conta dessa situação do Oeste e também da região de Campo Mourão, que tem um solo mais arenoso, onde também vamos sofrer queda na produção”, prevê.

Sobre os preços, Gallassini também apresenta um cenário desfavorável citando as cotações da soja no ano passado, quando a saca foi comercializado a cifras que variaram entre R$ 62,00 e R$ 83,50 na região de Palmas. “Agora nós estamos num nível entre R$ 70,50 e R$ 71,00. Essa diferença de R$ 10,00 é preocupante”, analisa, ponderando no entanto, que diante dos custos de produção, o preço ainda é viável.

Ao falar sobre o cenário político nacional e estadual, Gallassini demonstra otimismo com relação aos governos de Jair Bolsonaro e Ratinho Junior, sobretudo na pauta econômica, mas salienta que “ainda é cedo para avaliar”.

Ouça:

Compartilhar